SINDISCOSE
Notícias

Sindiscose participa de Audiência Pública sobre a Reforma da Previdência

A Alese foi o palco da  audiência pública para debater a Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro (PSL), teve início por volta das 9h20 desta sexta-feira (12), contando com a participação do advogado Maurício Gentil, do diretor técnico do Dieese, Luis Moura, do representante do Sergipe Previdência, José Roberto Lima Andrade, e da representação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Seccional Sergipe, Fernanda Souza.

A audiência foi organizada pelo mandato do deputado estadual Iran Barbosa (PT-SE), e contou com a participação do deputado federal João Daniel e do senador Rogério carvalho, ambos do PT sergipano. Os representantes das centrais sindicais CTB, UGT, CUT e CSP Conlutas também fizeram suas saudações ao espaço e contribuições ao debate. A audiência contou com a presença de partidos políticos, mandatos populares, organizações sindicais e populares, como a Fetase, Sindprev/SE, Sintufs, Sintese, Sindifisco, além do Sindiscose.

Os palestrantes convidados levantaram os pontos mais problemáticos da PEC 06/2019: a abertura para o Regime de Capitalização, o que acaba com o regime de solidariedade atual e desobrigando o patronato a contribuir com o INSS, a mudança no Benefício de Prestação Continuada (BPC) no valor de R$ 400,00 a partir dos 60 anos, a mudança no cálculo da aposentadoria rural e a desconstitucionalização das matérias relativas à Previdência. “Ou seja, tudo o que Bolsonaro não tiver condições de passar neste momento, se a PEC 06/2019 tirar a matéria da Constituição, ele pode inserir depois em forma de Lei Complementar, que é muito mais fácil do que uma PEC, e passar do jeito que ele bem entender”, explicou o advogado Maurício Gentil.

Próximas ações

 

A audiência foi encerrada às 12h28min desta sexta-feira. Na última pesquisa do Instituto Data Folha, publicada na última quarta-feira (10), aproximadamente 51% dos brasileiros são contrários à proposta de Reforma da Previdência. No próximo dia 15 de abril está marcada uma reunião junto a centrais sindicais, organizações populares e frentes de mobilização para discutir o ato unitário do 1º de Maio, Dia do/a Trabalhador/a. A Confederação  Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) está puxando uma paralisação nacional entre os dias 23 e 25 de abril.

 

 

 

 

 

Fonte e imagens: Sintufs

Comentários

Relacionados

Corecon/DF deve realizar concurso público para contratar seus servidores

SINDISCOSE

Em defesa do RJU, Guilherme Boulos assina carta de compromisso do Sindiscose

Sindiscose

Sindiscose endossa Carta às Direções Nacionais das Centrais Sindicais

SINDISCOSE

Justiça Federal em Sergipe suspende concurso do Conselho Regional de Educação Física

Sindiscose

URGENTE: Ato suspenso, OAB/SE marca reunião

Sindiscose

Diretoria realiza primeira formação sindical

Sindiscose