SINDISCOSE
Notícias

Sindipetro diz que hibernação da Fafen pode causar tragédia ambiental

Edivaldo Leandro alerta para possibilidade de tragédias ambientais (Fotos: Portal Infonet)

O diretor do Sindicato Unificado dos Trabalhadores Petroleiros, Petroquímicos, Químicos e Plásticos nos Estados de Alagoas e Sergipe (Sindipetro) Edivaldo Leandro, disse nesta segunda-feira, 28, que a hibernação da Fafen pode causar uma tragédia ambiental semelhante aos fatos ocorridos em Mariana e Brumadinho, em Minas Gerais. O alerta veio à tona durante a reunião do Fórum Sergipe em Defesa da Fafen, espécie de preparação para os protestos contra o encerramento das atividades da fábrica.

Reunião do Fórum Sergipe em Defesa da Fafen ocorreu nesta segunda-feira, 28

Para Edivaldo Leandro, a hibernação da Fafen é o primeiro passo para entregá-la nas mãos de grandes capitalistas que não tem nenhum interesse em investir em planos de emergência. “Estamos fazendo o alerta de que pode acontecer com a Fafen, o mesmo que aconteceu com a Vale. Antes de ser privatizada, a Vale nunca tinha se envolvido em tragédias. Depois da privatização, os capitalistas precarizam a segurança e a colocaram em último plano, uma vez que os planos de prevenção e emergência são muitos caros. O mesmo pode acontecer com a Fafen, que após a hibernação, certamente será privatizada”, denuncia.

De acordo com o sindicalista, caso não haja o cuidado necessário, a Fafen pode registrar vazamento de produtos tóxicos que prejudicarão a população e o Rio Sergipe, que fica no entorno. “Ali pode acontecer algo pior do que ocorreu em Minas Gerais. Pode ocorrer vazamento de gás e substâncias tóxicas que vão acabar com o Rio e prejudicar a população de Riachuelo e Laranjeiras. Além disso, ali tem um reator, que caso saia de controle, não sabemos o que pode acontecer. A Fafen é uma bomba sob controle, que até hoje não registrou acidentes graças a responsabilidade dos empregados e da empresa como estatal”, alerta.

Além do risco de tragédia ambiental, o sindicalista revela que a hibernação e consequente privatização da Fafen, vai acarretar em demissões e posteriormente em contratação de mão de obra a preço baixo. “São cerca de 3 mil empregos indiretos que serão afetados nesse primeiro momento. E quando ela for privatizada, a empresa que chegar terá como referência valores de salário mínimo e um acordo coletivo baseado na reforma trabalhista”, lamenta.

O Sindipetro realiza na próxima quarta-feira, 30, um grande ato na porta da Fafen, em Laranjeiras, para protestar contra a hibernação. “É o dia do nosso grande ato junto com caminhoneiros, taxistas, operários, comerciantes, e com a sociedade laranjeirense que está pronta para ocupar a Fafen caso ela seja hibernada ou privatizada”, finaliza.

 

Fonte: Infonet

Comentários