Sindifisco apresenta às lideranças sindicais a Reforma Tributária Solidária


Lideranças sindicais e do movimento social participaram do II Debate sobre o Projeto da Reforma Tributária Solidária, promovido pelo Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco). O tema foi apresentado pelo diretor para Assuntos Parlamentares e Relações Institucionais da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), Pedro Lopes. O evento foi realizado na manhã desta quinta-feira (19), no auditório do Sindifisco.

De acordo com Pedro Lopes, a Reforma Tributária Solidária é um movimento plural que aponta premissas para reformar o atual modelo tributário, na defesa de mudanças no sistema tributário brasileiro. Ele apresentou contrapontos às propostas de ‘simplificação tributária’, enviadas ao Congresso Nacional.

Ao defender a Reforma Tributária Solidária, Pedro Lopes afirmou que o Brasil nem de longe tem a maior carga tributária do mundo, porém apresenta baixa tributação para Renda e Patrimônio (ricos) e alta tributação no consumo de bens e serviços, o que pune a classe média e os mais fracos (assalariados). “Além de desigual, o atual sistema tributário é um entrave ao desenvolvimento econômico do País”, disse o representante da Fenafisco.    

De forma didática e com gráficos elucidativos, Pedro Lopes trouxe conceitos do sistema tributário, dados comparativos e resultados do crescimento econômico dos países capitalistas. Ao final, o representante da Fenafisco chamou à atenção para a disputa e lobbys empresariais da fatia do orçamento público, no Congresso Nacional.

De acordo com o presidente do Sindifisco Paulo Pedroza o objetivo do debate em democratizar no meio sindical o tema Reforma Tributária foi alcançado.  “Estaremos ampliando e reproduzindo esse debate de forma dirigida para despertar a consciência da classe trabalhadora para o enfrentamento de ideias na correlação de forças nessas eleições gerais de 2018, em defesa de projeto nacional de desenvolvimento econômico que também tem como urgência uma reforma tributária”.

Lideranças sindicais

Das lideranças estavam no debate Ivânia Pereira (Sindicato dos Bancários), Luis Moura (Dieese), Luiz Borges e Heráclito Menezes (Sinpol), Maria da Pureza (UBM), Érika Leite (Conselho Estadual de Direito das Mulheres), Roberto Silva (CUT), Adêniton Santana (CTB), Carlos Trindade (Sinaf), Felipe Silva (Sintufs), Diego Araújo (Sintrase), Marcos Pedro Ferreira (Sindicato dos Engenheiros), João Augusto (Sintasa), Maria Inês (Sindicato dos Psicólogos), Igor Baima (Sindiscose),  Gilvan Santos e Alexandre Rolemberg (Sindijus), Sheila Morgana (Sindicato dos Enfermeiros) e Neviton Santos (Sinter). Também prestigiaram o debate candidatos à disputa eleitoral 2018: Henry Clair (senador/PPL), Márcio Dória (deputado federal/PC do B) e Sônia Meire (senadora/PSOL).   

Por Déa Jacobina Ascom Sindifisco

Comentários