Centrais sindicais anunciam jornada de luta para barrar Reforma da Previdência


Da Redação do Esquerda Online

Nesta quarta-feira (31), aconteceu uma reunião de sete centrais sindicais para discutir os próximos passos na luta contra a Reforma da Previdência. CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central, UGT, Intersindical anunciaram que irão organizar uma Jornada Nacional de Luta para impedir que o projeto seja colocado em pauta na Câmara dos Deputados no dia 20 de fevereiro, como pretende o Governo de Michel Temer (PMDB) e aliados. Dia de mobilizações está sendo programado para a data.

Em nota, divulgada após a reunião, as centrais afirmaram repudiar o que chamaram de “campanha enganosa do governo”. Ainda, orientam suas bases a “entrarem em estado de alerta e mobilização nacional imediata, com a realização de assembleias, plenárias regionais e estaduais, panfletagens, blitz nos aeroportos, pressão nas bases dos parlamentares e reforçar a pressão no Congresso Nacional”, afirmam, além de aumentar o esclarecimento do projeto junto aos trabalhadores e trabalhadoras. “A unidade, resistência e luta serão fundamentais para barrarmos mais esse retrocesso” concluem. Dia nacional de protestos será convocado para o dia 19 de fevereiro.

Além das centrais sindicais reunidas nesta quarta, outros movimentos sociais e entidades dos trabalhadores estão se organizando para programar mobilizações na tentativa de barrar a Reforma da Previdência de Temer. A CSP-Conlutas, central sindical e popular, por exemplo, vem afirmando a necessidade de, além de uma jornada de luta, construir uma greve geral, como a que ocorreu no dia 28 de abril de 2017, com todas as centrais sindicais unificadas, mostrando o peso da classe trabalhadora do País, majoritariamente contrária à PEC do governo.  No próximo sábado (2) e domingo (3), os servidores públicos federais também realizarão uma reunião ampliada, convocada pelo Fonasefe (Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais) e pelo  Fonacate (Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado), para traçar estratégias contra a Reforma da Previdência.

Leiam a íntegra da nota divulgada, abaixo:

Centrais realizarão Jornada Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência

Em reunião manhã desta quarta-feira (31), as centrais sindicais (CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central, UGT, Intersindical) aprovaram a realização de uma Jornada Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência.

Na oportunidade, as centrais repudiaram a campanha enganosa do governo Michel Temer para aprovar a Reforma da Previdência. E orientam para o próximo dia 19 de fevereiro um Dia Nacional de Luta.

Com a palavra de ordem “Se botar pra votar, o Brasil vai parar”, as centrais orientam suas bases a entrarem em estado de alerta e mobilização nacional imediata, com a realização de assembleias, plenárias regionais e estaduais, panfletagens, blitz nos aeroportos, pressão nas bases dos parlamentares e reforçar a pressão no Congresso Nacional.

As centrais sindicais conclamam suas bases a reforçar o trabalho de comunicação e esclarecimento sobre os graves impactos da “reforma” na vida dos trabalhadores e trabalhadoras.

A unidade, resistência e luta serão fundamentais para barrarmos mais esse retrocesso.

Comentários