SINDISCOSE
Notícias

Em decisão unânime, assembleia aprova filiação a CSP-Conlutas

Na noite desta quinta-feira, 25, reunidos em assembleia geral, o Sindicato dos Conselhos e Ordens de Fiscalização Profissional e Entidade Coligadas e Afins do Estado de Sergipe – SINDISCOSE, deliberou pela filiação a Central Sindical e Popular – Conlutas (CSP-Conlutas), a decisão foi um desdobramento de debates já realizados na direção da entidade. 

Desde a retomada do Sindicato a Central vem dando total apoio ao Sindiscose, através do Sindicato do Petroleiros de AL/SE, foi cedida uma sala sem nenhum custo de aluguel e todo apoio jurídico com uma equipe de mais de 12 advogados através do escritório jurídico. Politicamente a Central tem ocupado uma postura de autonomia e independência de governos, e é linha de frente contras as reformas trabalhista e da previdência .

História da CSP-Conlutas

Programa da Central

Campanha Contra a Reforma da Previdência

O Professor de Direito e Mestre em Educação Alexis de Jesus, da Universidade Federal de Sergipe, esteve na assembleia e conversou sobre a história da Central, suas lutas, além do funcionamento da Entidade. Respondeu perguntas sobre a atual conjuntura e as tarefas políticas atuais que passam por construir uma forte resistência ao atual momento de retirada de direitos como a aposentadoria. “Desejo boas vindas ao Sindiscose, não encontrarão uma perfeita, nenhuma é, mas a CSP-Conlutas tem tido o mérito de manter sua independência e autonomia, mesmo diante dos governos do PT/PCdoB, entrem também para somar, pois a Central é construída pelos seus sindicatos de base, e estamos muito felizes que tenham tomado essa decisão.”, disse o Professor.

Assentos garantidos nas Coordenações Nacional e Estadual

A Central é dirigida a partir das Entidades, todo sindicato filiado tem garantido participação, com direito a voz e voto, na Coordenação Nacional e Coordenação Estadual ( Sindiscose tem direito 1 e 3 votos respectivamente nessas coordenações). A próxima reunião estadual vai acontecer dia 03 de março, essa coordenação vai eleger a Executiva Estadual, que dirige o dia a dia da Central, entre as reuniões da Coordenação, com mandatos revogáveis.

História

A CSP Conlutas – Central Sindical e Popular – foi fundada no Congresso Nacional da Classe Trabalhadora – CONCLAT – ocorrido na cidade de Santos, São Paulo, nos dias 5 e 6 de junho de 2010. O Centro de Convenções Mendes ficou pequeno para os cerca de 4 mil participantes do Congresso, dos quais 3.150 eram delegados(as) vindos de todas as regiões do país. A Central nascida no CONCLAT uniu as experiências de organizações sindicais e populares agrupadas em movimentos bem distintos. Da Coordenação Nacional de Lutas – CONLUTAS, que se organizava desde 2004, veio a maior parte da base sindical da nova entidade. A Conlutas surgiu a partir da unidade de vários setores do movimento sindical na luta contra as reformas neoliberais aplicadas pelo governo Lula, e iniciou uma primeira experiência de incorporação dos movimentos populares numa mesma entidade.

Estrutura da Central

 A CSP-Conlutas é composta pelas seguintes instâncias:

  • Congresso Nacional: instância máxima da Central que se reúne a cada dois anos com delegados eleitos na base das entidades e movimentos filiados e nos critérios de proporção estabelecidos pela Coordenação Nacional que convoca o congresso;
  • Coordenação Nacional: instância máxima entre os congressos que se reúne a cada dois meses com representantes de todas as entidades e movimentos filiados na proporção prevista nos estatutos. Tem direito a voto aquelas que se encontram em dia com a contribuição ordinária à Central;
  • Secretaria Executiva Nacional: Instância de caráter executivo das decisões tomadas pela Coordenação Nacional composta por 27 membros efetivos e 08 membros suplentes, todos representando entidades ou movimentos filiados. A Secretaria Executiva Nacional é eleita na Coordenação Nacional e tem mandado de dois anos revogável de acordo com os estatutos;
  • Conselho Fiscal: eleito na Coordenação Nacional, composto por 03 membros efetivos e 03 membros suplentes para um mandato de 02 anos revogável conforme os estatutos;
  • Nos estados: o funcionamento se dá através de Coordenações Estaduais e Regionais, Secretarias Executivas Estaduais e Regionais, com os respectivos Conselhos Fiscais. O funcionamento é semelhante a estrutura nacional sem a instância Congresso estadual/regional;
  • Em todas as instâncias de deliberação as entidades e movimentos estudantis e de luta contra as opressões, juntas, tem direito a voto na proporção de no máximo 5% dos participantes
Comentários

Relacionados

CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL

Sindiscose

“Execução de Marielle Franco, PSOL, atende a um projeto de Estado repressor”

SINDISCOSE

Portaria do governo autoriza realocação obrigatória de servidores públicos federais

Sindiscose

Sindiscose define calendário eleitoral das Eleições para a Gestão 2018-2021

SINDISCOSE

Reunião da Coordenação Nacional neste fim de semana debate reformas trabalhista e previdenciária

SINDISCOSE

Nova Diretoria e Conselho Fiscal toma posse para o triênio 2018-2021

SINDISCOSE