Centrais Sindicais convocam Greve Nacional para o dia 5 de dezembro contra a Reforma da Previdência

A mobilização nacional também vai denunciar as medidas do governo que desmontam o serviço público e a Reforma Trabalhista, em vigor desde 11 de novembro

Por: Gisele Peres, do Portal Esquerda Online

Reunidas na manhã desta sexta-feira (24), em São Paulo, as centrais sindicais CSP-Conlutas, Intersindical, CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB e CGTB, decidiram convocar uma Greve Geral para o dia 5 de dezembro. A Greve Geral é uma resposta do movimento sindical contra a nova proposta de desmonte da Previdência Social apresentada pelo governo de Michel Temer na última quarta-feira (22) e que deve ser votada no dia 6 de dezembro.

O governo tenta, dessa vez, se concentrar em três aspectos fundamentais: idade mínima, regras de transição e fim do regime próprio dos servidores públicos.

Mobilizar pela base
A partir do anúncio da data, dirigentes sindicais já iniciaram a movimentação necessária para realizar amplas mobilizações nas bases – assembleias, atos, debates e outras atividades – com a finalidade de dialogar não apenas com as próprias categorias, mas com toda a sociedade.

A metroviária Camila Lisboa e o coordenador nacional da Fasubra Gibran Jordão gravaram um vídeo exclusivo para o portal Esquerda Online logo após a saída da reunião que definiu a Greve Geral. Confira:

Vamos à luta
Para aprovar a reforma, o governo vai usar de todas as ferramentas possíveis: liberação de verbas parlamentares, cargos e nomeações. Somente em campanhas publicitárias para tentar manipular a opinião pública, Temer vai gastar R$ 20 milhões.

Para Gibran Jordão, os trabalhadores também possuem as suas ferramentas, a organização e a luta. A Greve Geral no dia 5 de dezembro fortalece o calendário das mobilizações, como a caravana do funcionalismo marcada para o dia 28 de novembro.

Destacando a importância da unidade, o dirigente afirma que é preciso repetir a greve geral de 28 de abril deste ano, que suspendeu o andamento da reforma naquele momento. “A ampla maioria da população brasileira é contra esta reforma. E os trabalhadores já demonstraram disposição de luta para garantir o direito à aposentadoria. Vamos à luta”, disse.

Resoluções

Veja, abaixo, alguma iniciativas encaminhadas na reunião:

● Greve Nacional no dia 5/12 com paralisações em todas as capitais;
● Campanha nas redes sociais; desmascarando as mentiras do governo acerca da reforma da previdência;
● Pressão nos deputados federais nos aeroportos e agendas públicas dos deputados;
● Realizar Assembleia e debate com as categorias;
● Panfletagem de 27 a 01/12.

Foto: Carol Burgos | Esquerda Online

Comentários